terça-feira, 2 de novembro de 2010

Asas guardadas

Outro dia, encontrei-te
naquelas esquinas
onde almas se encontram.
Naquelas ruas
onde anjos se aprontam
para passear em nós.

E o anjo em mim, olhou-te.
O anjo em ti, apenas sorriu
e ousadamente,
apenas por um momento,
em alma, se abriu.

Nossos anjos descarados,
fazem das madrugadas
céus de estrelas e luas;
asas minhas, asas tuas
que se embolam
em desmedidos prazeres.

Até o sol chegar.
Aí, nos guardamos.
E até o próximo sonho,
asas e almas, desarmamos.

2 comentários:

Doce Melodia disse...

Lindo... o anjo que mora em nós...

=)

rodrigowill disse...

"asas minhas, asas tuas"

Poesia genial, três tipos de personagens e um sonho. Lindo mesmo.

Obrigado pelas boas vindas, dificil vai ser escrever sem musa, ou transformar algo como frustração em musa. rs