terça-feira, 26 de outubro de 2010

Olho gordo

Ando mesmo sem tempo
de ler poemas.
As letras e as moças
passam por mim,
sem eu notá-las.
Depois dos teus olhos,
não olho para mais nada;
tropeço em calçadas
e em escadas.

Fiquei doido e nem notei.
Minha vida agora, é andar
à procura do teu olhar,
que são tão tristes.

Quero por alegria no teu olhar.
Ou então, não mais te enxergar.

2 comentários:

Doce Melodia disse...

Seus poemas assim, sempre tão lindos...

=)
Beijo!

Sue disse...

Visitando...