domingo, 1 de fevereiro de 2009

Perdidamente só

Se sigo agora, teus passos,
é porque não tenhos os meus;
sou um só descompasso,
buscando os caminhos teus.

Que ando até sem graça,
igual cão sem faro, estou
meio perdido na praça,
nem sei para onde vou.

Se sigo agora, teus passos,
em tropeços e atropelos,
é porque só piso em falso;

busco todo dia teus traços,
me faço soluços e apelos,
vou sempre no teu encalço.

2 comentários:

Vera Celms disse...

Amigo... cuidado, tudo bem que "o poeta é um fingidor, finge tão completamente que chega a fingir que é dor..." mas assim eu lhe ofereço ombro, ou seria colo? tá sofrendo meu amigo? faz isso não...beijos no seu coração...

Rosa Desfolhada disse...

"Deixo onde passo os meus pés no chão..."

Que delícia de poema!
Tão ritmado... e tão sensível...