segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Teu colo

Tímido, diante da tua beleza,
do teu colo, dos teus vãos.
Mudo, diante de ti, mas
admitindo o meu tesão.
Você, tão farta e serena,
tão completa e amena,
dá-me o colo para ficar;
eu, feito criança a brincar.

Uns seios de não sei o que.
Não explico esse tanto
me perder só em você.

Nenhum comentário: