quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Prá você

Quero dar-te um mimo,
que não seja só primo
daquele outro que te dei;
porque aquele, comprei.
Quero dar-te um agrado,
que sejam flores do prado
ou que do pântano, sejam
mas, que em cores, vicejam.

E ele, não será só teu.
Desde que saiu de mim,
será um pouquinho meu,
porque te acaricio assim.

Um comentário:

Flor de Lys disse...

Que doçura de poema partilhado...

=)